‧ Envio Grátis ‧ Receba em 4 dias úteis ‧ 30 Dias para Trocar ‧ 2 Anos de Garantia ‧

Cães de companhia na cerimónia do casamento: Prós e contras.

Este é um tema que nos é muito caro, pois diz respeito a um animal que adoramos e que é considerado desde tempos longínquos como o melhor amigo do homem.

Falamos naturalmente do cão, um animal doméstico que muito admiramos e respeitamos não só pela sua meiga, responsável e prestável companhia, mas também pela forma como ele afecta a nossa vida social, como nos mantém activos e, sobretudo, pela sua capacidade de nos fazer sentir serenos e de bem com a vida, apesar de todas as adversidades que a vida nos propõe.

De todos os animais de companhia, os cães vêm dando provas ao longo dos tempo que são efectivamente os que se afiguram mais bem preparados para desempenhar diversas funções, como por exemplo, companheiro, ajudante, protector ou até mesmo salva-vidas entre outras incumbências, alguns predicados determinantes para o crescimento significativo do número de adopções.

Por serem considerados por muitas pessoas como seus filhos, os cães, hoje em dia, raramente são colocados à margem de momentos especiais, particularmente no casamento.

Nós, como é óbvio, compartilhamos e apoiamos literalmente a excelente ideia, vontade e desejo dos noivos de usufruírem da companhia dos seus cães naquele que é seguramente um dos mais importantes dias das suas vidas, mas, para que tudo dê certo, entendemos que se deve considerar os limites destes maravilhosos animais, como julgamos ser fundamental prevenir a sua segurança e o seu conforto, dado que, apesar de serem bastante sociáveis, eles irão certamente deparar-se com um acontecimento festivo e de certa forma barulhento e, ao mesmo tempo, encarar possivelmente um sem número de pessoas maioritariamente desconhecidas ou estranhas.

Sabemos bem que há noivos que fazem questão de que esses ternurentos, afectuosos e encantadores animais façam parte da felicidade do seu casamento e, por isso mesmo, não enjeitam a ideia de lhes atribuir a tarefa de levar a cestinha das alianças presa num lacinho fofo na coleira, no dorso ou até mesmo levada na boca, devidamente acompanhados por alguém que conviva de perto com eles, um facto que torna o momento lindo e inesquecível e que, como se pode imaginar, fará de certeza a delícia do casal, familiares, amigos e restantes convidados.

Nesta situações, em particular, há sempre uma enorme expectativa quanto ao comportamento das/os meninas/os das alianças ou, melhor dizendo, dos “filhotes” do casal diante de um acto solene como é o casamento.

No entanto, nem tudo é fácil como por vezes parece, na verdade são precisos cuidados, por vezes redobrados para evitar maus resultados, cuidados que variam de acordo com os planos que os noivos traçam para os seus companheiros do dia-a-dia.

Se o que verdadeiramente importa fôr simplesmente a presença dos prezados cães na cerimónia do casamento e na sessão fotográfica, então, o banho, a roupa a preceito e os respectivos acessórios como laços ou gravatas bem como as atempadas necessidades fisiológicas são atenções indispensáveis mas suficientes para uma boa performance dos animais num ambiente festivo, desde que eles sejam devidamente encaminhados para um lugar mais discreto do local da cerimônia e sempre acompanhados por alguém que conheça muito bem as suas características e que saiba se eles se sentem intimidados diante de pessoas estranhas ou se têm medo de fogo de artifício ou de música.

Por isso, não se pense que a prevenção se deve apenas ao facto de os cães serem sensíveis e muito imprevisíveis, não, a prevenção é também de extrema importância para não haver risco de fuga para um qualquer local que lhes possa vir a oferecer perigo.

Se, por outro lado, o casal quiser que os seus fiéis amigos e dedicados companheiros participem na cerimónia de entrega das alianças, nesse caso, os especialistas aconselham treinos prévios e personalizados no domicílio ou na rua, a começar pela simulação da cerimônia para que os cães adquiram hábitos e conhecimentos e se habituem a novos modos de procedimento, com o objectivo de os educar e preparar para o grande dia dos seus “deuses” até porque, segundo os técnicos, há muitos cães que, sem que facilmente se perceba, apresentam comportamentos muito diferentes dos habituais diante de determinadas coisas ou situações inesperadas ou desconhecidas que no nosso entender, terão de ser efectivamente analisados por alguém habilitado para definir exercícios e estratégias de forma a ultrapassar os problemas com que eles se deparam.

Porque foi sempre nossa intenção elaborar os nossos textos com seriedade e rigôr, fomos à procura de informação e ficamos a saber que, se não forem tomadas as devidas providências, algumas delas já referidas, não devemos nunca incluir os nossos amigáveis, sociáveis e carinhosos companheiros numa cerimónia com a importância do casamento, sob pena de não termos a exacta percepção do sofrimento que lhes poderemos infligir.

Em todo o caso, segundo vários técnicos de medicina veterinária, é conveniente retirar os cães do local logo após a cerimónia para que eles possam aliviar o cansaço, a ansiedade e o stresse acumulados e recompensá-los com algo que adorem, como por exemplo, um biscoitinho, uma bolachinha ou um simples brinquedo, isso porque, está clinicamente comprovado que eles sentem atenção e muito amor nessa atitude.

Obviamente, não faltarão oportunidades para redigirmos um texto sobre os atributos de outros animais de companhia!